Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Três Milímetros

Quando te conheci tinhas apenas 4 semanas e 3 milímetros. Eu? 1,60 metros, nem penses que vou dizer o peso e 29 anos no cartão do cidadão. A aventura de uma mãe inexperiente a viver a mais avassaladora experiência de todas

Três Milímetros

Quando te conheci tinhas apenas 4 semanas e 3 milímetros. Eu? 1,60 metros, nem penses que vou dizer o peso e 29 anos no cartão do cidadão. A aventura de uma mãe inexperiente a viver a mais avassaladora experiência de todas

Tu, aos quase 2 anos

Nos últimos tempos (dois meses, talvez, não sei se tanto) pedes-me para ficar ao teu lado enquanto adormeces. Facilita termos comprado uma cama de solteiro (Uau, que crescido!) e assim podemos ficar num namoro pegado antes da tua respiração se tornar mais profunda e eu sair pé ante pé (e sem respirar, para que a tua cabecita não se levante e não digas: 'mamã, aqui', para evitar que me escape do quarto e vá tratar das mil coisas que estão à espera). Agora aproveitas aqueles minutinhos antes do sono chegar para uma espécie de revisão da 'matéria dada'. Há dois dias descobriste que banana e maçã são fruta. Ontem dizias, de olhos fechados e mão na minha: 'Banhanha, futa! Maçã, futa!' Ou começas a cantar a música do sapo jururu que adoras. 'Sapo, juúú'. Ou ainda: 'amanhã, Ximão, popós'. Adoras carros. Dizes carro, autocarro, camião, carrinha, taxi, tuc-tuc e gritas num entusiasmo só quando vês um autocarro "amaielo" a passar na rua. 'Mamã, autocarro', 'Mamã, amaielo'. E também dizes 'salta, mamã'. E 'anda, mamã'. E 'apeta mamã' quando os sapatos estão desapertados. E 'hum' quando a comida te agrada. Continuas a não gostar de batatas. Adoras peixe assado ou grelhado, cozido nem vê-lo. Repetes tudo o que dizemos. Dás abraços bons quando nos vês chegar depois de um dia fora. Apertas-me as bochechas quando tens muitas saudades e me queres dizer que passámos demasiado tempo longe um do outro. Fazes-me miminhos na cabeça antes de adormecer. Adoras cócegas e ris-te à gargalhada. Trepas a tudo, corres pela casa, dás-me a mão para eu ir contigo para onde queres. 'Mamã, lá fóia' quando queres ir à varanda. Não se pode falar de aniversários que exclamas sorridente: 'Bolo'. Não tarda fazes dois anos, meu amor. E faz dois anos que conheci este amor que nos salta do peito desassossegado mas quente como um pijama polar vestido depois de uma chuvada. 

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Mais sobre mim

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2016
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2015
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2014
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
Em destaque no SAPO Blogs
pub